Pare agora e pense em sabão em pó, iogurte e lâmina de barbear. Provavelmente você se deparou mentalmente com as 3 marcas mais famosas e pioneiras. Há 50 anos, não existiam muitas opções e as empresas simplesmente dominavam.

 

Era dos diferenciais.

Com o surgimento de outras opções de marca, as empresas precisaram encontrar uma forma de se destacar e a primeira opção foi apelar para os diferenciais. “eu faço sabão, mas o meu tem um elemento que deixa a roupa mais branca”. As marcas começaram a publicar o que elas tinham de diferente e isso funcionou por anos! Hoje, apenas dizer que você faz melhor que o vizinho não adianta. Foi-se o tempo em que tínhamos poucas opções: tv, radio, jornal, etc. Nós éramos obrigados a assistir intervalos comerciais. O controle não está mais na mão de quem publica, mas na mão do receptor. Hoje as pessoas assistem e consomem o que querem, o que obrigou a publicidade mudar sua forma.

 

Era do conteúdo.

Se você já foi abordado por um vendedor insistente, sabe quão desagradável é ter que dizer não mais de uma vez. Assim é vista a publicidade tradicional hoje. As pessoas estão ainda mais sensíveis à tudo que é “empurrado goela abaixo” e, portanto, não gostam de se relacionar com marcas que querem vender coisas pra elas o tempo todo. Como fazer então? Se as pessoas não assistem comerciais, como fazer com que elas conheçam minha marca e se convençam que ela é ótima? Entregando conteúdo.

 

Agregar valor

Entregar conteúdo significa que você deve atrair, dando ao seu público informações e falando de assuntos que interessam a ele. Você precisa agregar valor, falando coisas que irão influenciar positivamente sua vida, seu dia a dia pessoal ou profissional. Se o seu futuro cliente tiver um insight por sua causa, pronto! Você começou a influenciar à compra.

 

Tipos de conteúdo

 

  • Informacional: Estamos na era do conhecimento e, quanto mais informações você fornecer, mais seu público gostará da sua marca. Antigamente, dizer “Feliz Natal” era suficiente para vender. Hoje, o melhor é pensar fora da caixa, por exemplo:
    • 3 curiosidades sobre o Natal.
    • Conheça 10 crianças que foram surpreendidas no Natal.
    • Descubra por que o Papai Noel é vermelho.
    • 5 formas divertidas de presentear neste Natal.

Se essas informações além de serem relevantes para o seu público, estiverem linkadas com o que você vende, bingo! Você pode gerar mais simpatia por sua marca e consequentemente vender mais.

Esse tipo de conteúdo, hoje é entregue em diversos formatos por diversos canais como: posts nas redes sociais, artigos de blogs, e-books por e-mail, podcasts, vídeos, cursos online, palestras, workshops.

 

  • Ferramentas: toda informação se aplicada, gera uma transformação. Quanto mais impacto positivo você causar na vida das pessoas, mais elas admirarão sua marca. As ferramentas são itens de apoio para a ação, como: planilhas, modelos de plano de ação, modelos de documentos, lista de exercícios em pdf, sites úteis, grupos de interação, etc. Exemplo:
    • [BAIXE AGORA] Planilha comparativa para economizar no Natal.
    • [BAIXE AGORA] Modelo de plano de ação para começar 2018 com tudo.
    • [PLANO DE AÇÃO] Como um empreendedor impactou seus funcionários no evento de fim de ano.

 

  • Entretenimento: principalmente na mídia social, funciona muito. As pessoas precisam rir, se emocionar, relaxar. Se você, como empresa, puder fornecer entretenimento para seu cliente, você terá muitos resultados. Gifs animados, videos engraçados, frases que fazem a pessoa refletir e tomar uma ação, farão com que sua marca seja querida na internet.
    • O Natal não é um momento nem uma estação, senão um estado da mente.
    • O post a seguir poderia ser um post para uma academia:

    • O post a seguir poderia ser de uma loja de roupas:

Se você está pensando que o post acima pode desestimular a audiência a comprar roupa nova, errou! Se seu conteúdo produz identificação, então você acertou em cheio: sua marca ficou mais amada. Não é por causa de um post como esse que a tradição do Natal será deixada de lado, pelo contrário, é possível que a pessoa escolha comprar da sua empresa porque você falou a língua dela.

Dá trabalho!

Você pode estar pensando: nossa isso dá muito trabalho! Sim dá! E não tem como fugir. Fazer um projeto desse, exige esforço da empresa, dos gestores, e da agência de publicidade que irá orientar e executar o projeto. Pare agora de fazer propaganda convencional transforme seus clientes em fãs! Eu sei que existem muitas perguntas na sua cabeça com relação a isso. Então deixe nos comentários suas dúvidas, para que eu possa responder nos próximos posts.

Falowww!

Raphael Martins

 

ASSISTA O VÍDEO

 

 

 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz

 

 

Talvez você se interesse por isso: